Home » Noticias » Economista alerta para escassez de água

Economista alerta para escassez de água

Grandes regiões metropolitanas do mundo costumam enfrentar problemas graves com a falta de água. No Brasil, mais de 30% da água tratada é desperdiçada pelas tubulações, sem nem chegar aos consumidores. O economista Gesner Oliveira, Ph.D pela Universidade da Califórnia, em Berkeley e presidente da Sabesp entre 2007 e 2010, aponta duas medidas urgentes para solucionar o problema: a primeira é combater o desperdício e a segunda é ampliar a reutilização da água.

Segundo o economista, se essas medidas não forem iniciadas logo, o mundo deverá ter grandes problemas com saneamento e abastecimento de água dentro de duas décadas, pois faltarão mananciais utilizáveis nas principais regiões urbanas para suprir toda a população. Um dos motivos para a ameaça ao abastecimento não é o crescimento da população, mas o surgimento das macrometrópoles. “Observamos o aumento da população da classe média nas economias emergentes. Isso significa que quem não consumia passou a consumir, o que aumenta a pressão sobre o sistema energético e de abastecimento”, explica Oliveira. “Existe ainda a questão ambiental. Desmatamentos às margens dos rios contribuem para que estes sequem. E há áreas onde os lençóis freáticos foram tão sobrecarregados que elas agora correm o risco de se tornar desérticas”.

Sobre a estiagem em São Paulo, Oliveira acredita não ter sido um problema apenas de planejamento, mas aponta a necessidade de se reestruturar o sistema de distribuição de águas. “Olhando as dificuldades climáticas que vêm ocorrendo na Califórnia e na África é fundamental que comecemos a pensar numa mudança para valer. E não me refiro aqui a um plano de dois ou três anos. Falo de mudanças profundas, para os próximos 20 ou 30 anos”, comenta.

Fonte: Veja, 06/08/2014

Veja também

Aedes_aegypti_during_blood_meal

Incidência de casos de dengue é maior em ilhas de calor

Com base nos dados da Prefeitura de São Paulo colhidos entre 2010 e 2011, uma ...