Home » Noticias » Nordeste avança pouco em saneamento

Nordeste avança pouco em saneamento

O Instituto Trata Brasil aponta que 29% da população do Nordeste ainda não tem acesso à água tratada e apenas 21% dos moradores da região têm coleta de esgoto, informa reportagem do jornal alagoano Tribuna Hoje.

O Trata Brasil analisou dados de 2011 do Ministério das Cidades e conclui que o processo de universalização do saneamento básico no Nordeste é lento.

Segundo os números do Instituto, nos 100 maiores municípios da região, 92,2% de população tem acesso à água tratada, 61,40% possuem coleta de esgotos e 38,5% tratam esse esgoto.

Maceió, capital de Alagoas, aparece em sétimo lugar entre as capitais do Nordeste quanto à avaliação dos serviços de água e esgotos, ocupando a 79ª posição no Ranking nacional. A capital alagoana tem 90,53% da população com água tratada e 35,36% com coleta de esgotos. O esgoto coletado é tratado.

A melhor situação da região foi encontrada em Salvador, que aparece na 36ª posição no ranking. A capital baiana tinha uma população estimada em três milhões de habitantes, com 92,49% das pessoas com água tratada e 79,20% com coleta e tratamento de esgoto.

Em entrevista ao jornal Tribuna Hoje, o presidente do Instituto Trata Brasil, Édison Carlos, diz que há um número grande de pessoas que contraem doenças pela falta de saneamento básico. “Temos muitas pessoas sofrendo por doenças nessas regiões, crianças que faltam as aulas nas escolas por conta das diarreias. Temos praias exuberantes recebendo milhões de litros de esgoto diariamente, o que é um absurdo quando pensamos na vocação turística destes locais”, afirmou Édison Carlos.

Fonte: Tribuna Hoje, publicado em 18/2.

Veja também

Aedes_aegypti_during_blood_meal

Incidência de casos de dengue é maior em ilhas de calor

Com base nos dados da Prefeitura de São Paulo colhidos entre 2010 e 2011, uma ...